O “taxímetro” dos retornos compostos

Com disciplina e paciência, o investidor tem o tempo como seu aliado no crescimento do seu patrimônio financeiro.

Isso porque há uma relação exponencial (ou seja, potencializada) entre o valor que uma pessoa conseguirá acumular no futuro – digamos, na idade em que pretende se aposentar – e o tempo durante o qual esta pessoa rentabilizou (e reinvestiu) seu capital.

Os “lucros” de uma carteira em um ano, reinvestidos, aumentam a base de capital para ser rentabilizada no ano seguinte. No jargão de matemática financeira, o investidor recebe “juros sobre juros”.

Ilustrando com números, uma pessoa que invista R$ 1 milhão hoje e, pelos próximos 20 anos, aufira e reinvista um retorno anual de 15% terá, ao final do período, acumulado mais de R$ 15 milhões em “lucros”, além do capital inicial. Ao ouvir “multiplicar o capital por 16x em 20 anos” muita gente pensaria que este tipo de retorno é estratosférico e não existe. Mas é só impressão, o efeito é todo do tempo e do reinvestimento!

Uma outra pessoa que não reinvista (digamos, gaste) todo o retorno dos investimentos chegará ao final do período tendo auferido 5 vezes menos (R$ 3 milhões) em resultados positivos do seu capital. Uma diferença enorme.

Por isto que dizemos que seu dinheiro pode trabalhar para você. Com o planejamento adequado, seus recursos podem crescer em velocidade crescente. Usando uma analogia trivial, seu capital pode “rodar” como se fosse um taxímetro ligado dia e noite. A cada período, com um incremento levemente maior que no anterior.

No curtíssimo prazo, pode ser imperceptível. Mas ao longo de anos, é uma recompensa e tanto para investidores disciplinados.

Meus sócios Diogo Lisa de Figueiredo, CFA e o Helio Kwon também estão falando disso e mostrando mais algumas coisas interessantes a respeito!

Nos chame também para um papo sobre isso pelo whatsapp. Clique aqui.

#gestãodepatrimônio #retornoscompostos #investimentos #wealthmanagement #privatebanking #investments #brazil

posts recentes

Foi sorte ou competência?

Inspirado nos livros e palestras do autor Michael Maubossin[1], pergunto: Qual é o papel da sorte para o sucesso? Começo definindo “sorte” e “habilidade”, neste contexto:

Leia mais »

E se…?

Nesse pós-eleição e mudança do pêndulo ideológico no comando da política brasileira, algumas questões não usuais (muitas originadas no esgoto da internet) aparecem: “E se

Leia mais »