Sobre o famoso “Investment Policy Statement” / IPS

O que é o Investment Policy Statement (IPS), o documento com as políticas de investimento para um investidor?

O IPS é um documento confeccionado a 4 mãos, pelo administrador dos recursos financeiros e o próprio cliente. O documento contém uma série de informações e detalhes a respeito da situação econômico-financeira do cliente, seus objetivos, particularidades, aspectos relacionados a seu apetite e capacidade de tomar riscos, entre outros.

Costumamos gastar algumas boas horas com nossos clientes delineando este plano e passando por uma série de aspectos, que podem parecer pouco relevantes, mas são cruciais para um entendimento global da vida financeira e patrimonial daquele cliente.

Perguntamos muito aos nossos clientes sobre despesas e sua situação profissional, ou seja, qual o diagnóstico (e perspectivas futuras) quanto às suas entradas e saídas de caixa. Avaliamos também a situação familiar das pessoas – por exemplo se há necessidade de suporte financeiro a filhos ou pais – bem como questões de saúde, heranças, pensões, etc.

Falamos sobre imóveis e moradia, sobre planos para o futuro, sobre objetivos, sobre aposentadoria… São vários detalhes! Já parou para notar que praticamente todas as nossas decisões e preferências têm um impacto direto na nossa vida financeira?

É a partir deste trabalho que nasce uma proposta de “carteira”, ou seja, de alocação em classes de ativos nas proporções que gerem maior aderência aos objetivos do IPS.

Meu sócio Diogo Lisa de Figueiredo, CFA escreveu sobre a importância da disciplina na semana passada. Uma das situações abordadas foi justamente esta de aderência ao plano definido no IPS. O mercado está sempre dominado por “bolas da vez”, uma sucessão de narrativas que apontam cada hora para uma direção. As políticas e o plano de investimento são muito pouco abalados por estas tormentas.

Sempre há espaço para ajustes e aprimoramento ao longo do tempo – e os documentos são atualizados periodicamente! – mas o que foi definido na confecção do IPS é “sagrado”. Este processo nos aproxima de nossos clientes e gera previsibilidade e tranquilidade a todos.

Se quiser falar conosco sobre este tema e entender como fazemos gestão de patrimônio, nos encontre no link a seguir: clique aqui!

posts recentes

Foi sorte ou competência?

Inspirado nos livros e palestras do autor Michael Maubossin[1], pergunto: Qual é o papel da sorte para o sucesso? Começo definindo “sorte” e “habilidade”, neste contexto:

Leia mais »

E se…?

Nesse pós-eleição e mudança do pêndulo ideológico no comando da política brasileira, algumas questões não usuais (muitas originadas no esgoto da internet) aparecem: “E se

Leia mais »